Thaïs Helt

Gravadora, pintora, desenhista.

Vive e trabalha em Nova Lima/MG.

Em 1988, abre a Oficina Cinco, um ateliê de litografia, onde imprime gravuras de vários artistas, entre eles Amilcar de Castro. Participa do Grupo do Largo do Ó, de Tiradentes.

Os trabalhos exibidos por Thaïs Helt trazem formas orgânicas que remetem a um conteúdo sensual. Elas seguem presentes no percurso da artista, em diversas obras posteriores. A forma ovalada é elemento recorrente no trabalho de Helt, repetindo-se na gravura, na pintura e também na cerâmica. Segundo a artista, que já fez uma série de desenhos inspirados em sementes, as formas redondas evocam o ovo, o início, o nascimento.

A partir de 1998 passa a experimentar grandes suportes, primeiramente com pinturas em preto e branco. Suas telas, sempre em diálogo com as gravuras que faz, compõem-se de grandes áreas chapadas, recortes e formas circulares. Na série de impressões À Flor da Pele (2001), a semitransparência do papel é explorada por meio das particularidades técnicas da xilogravura e da litografia, como superposições de provas e maculaturas. Valendo-se de colagens, desenhos, costuras e novas impressões, a artista transforma o verso em frente e a frente em verso, tornando tudo uma só peça. Esta pesquisa desenvolve-se também na série de litogravuras Tempo Impresso (2007), em que a ordem convencional da impressão é subvertida, substituindo os papéis - utilizados como suporte tradicional - por objetos únicos recolhidos do repertório familiar da artista, como colchas, toalhas e estampas antigas. Desse modo, Helt concebe trabalhos sem possibilidade de duplicidade ou reprodução.

Exposição realizada com a 4ART:

  • Do risco ao Risco – Museu Vale – Vitória/ES – 2015​